sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Cantor de banda paraibana desabafa no twitter: "Fui preso com arma, porque estava sendo ameaçado"



O cantor Felipe Lemos, vocalista e sócio da Banda Forró da Xêta aproveitou o espaço de seu perfil no microblog Twitter para revelar que vem recebendo ameaças e críticas a sua postura profissional. De acordo com o artista, as ações são patrocinadas por pessoas que não aceitam a sua atual condição de sucesso e aproveitam para criar fatos inverídicos sobre sua postura pessoal e profissional. O desabafo aconteceu na tarde desta quinta-feira (29) em sua página www.twitter.com/@felipe_lemos_ onde o artista também esclareceu o fato de ter sido preso portando uma arma de fogo. “Fui preso com uma arma, fui sim, porque estava sendo ameaçado e estava com medo e tinha que me proteger. Infantil eu fui e Deus tirou essa arma da minha vida e me mostrou que ele era meu segurança, meu guarda costas...” escreveu o artista. Felipe também desabafou sobre as ironias criadas a respeito de sua vida pessoal e principalmente, sobre sua condição física. “Tenho 26 anos e há 16, vivo da música e sempre sem passar por cima de ninguém. Sempre pedindo forca ao Senhor, pois nasci num lar onde existe Fé” declarou no twitter. 


Explicação: 
As polêmicas entre os artistas paraibanos tiveram início há alguns meses e acontecem principalmente entre alguns poucos fãs fanáticos das bandas Forró Pegado (@forropegado) e Forró da Xêta (@forro_da_xeta) que promovem sempre disputas, principalmente através do Twitter. A última delas aconteceu nesta semana, quando a através da hastag #EuCurtoForroPegado o grupo pessoense ficou durante mais de 6 horas entre os assuntos mais comentados da rede social no país. Como forma de ‘dar o troco’, alguns fãs de Forró da Xêta começaram a postar recados sobre a nova música do grupo, intitulada “Vai de carro que eu vou de avião”, que faz uma alusão direta a uma outra música de Forró Pegado chamada “Caveirão do Pegador”. Na nova letra, interpretada por Felipe, o cantor ironiza a letra anterior, nada muito agressivo, mas bem típico do forró estilizado do momento. Mesmo com o confronto de idéias nas letras das canções, vale lembrar que Felipe Lemos, Douglar Pegador, Kelly Silva e Elayne Tyne fazem questão de esclarecer nas suas páginas que são amigos, colegas de trabalho e que admiram o trabalho um dos outros. O espírito deve ser esse mesmo, porque só quem ganha é o #ForróDaParaíba.


Nenhum comentário:

Postar um comentário